CPLEC

Centro Espírita Cantinho de Paz, Luz, Esperança e Desde 1965Caridade

Mensagens Do Presidente Fundador

FATALIDADE

A fatalidade existe unicamente pela escolha que o espírito fez, ao encarnar, desta ou daquela prova para sofrer. Escolhendo-a, institui para si uma espécie de destino, que é a consequência mesma da posição em que vem a achar-se colocado.


Falo das provas físicas, pois pelo que troca às provas morais e ás tentações, o Espírito, conservando o livre-arbítrio quanto ao bem e ao mal, é sempre senhor de ceder ou de resistir. Ao vê-lo fraquejar, um bom Espírito pode vir-lhe em auxílio, mas não pode influir sobre ele de maneira a dominar-lhe a vontade. Um Espírito mau, isto é, inferior, mostrando-lhe, exagerando aos seus olhos um perigo físico, o poderá abalar e amedrontar.


Nem por isso, a vontade do Espírito encarnado deixa de se conservar livre de quaisquer peias.

Há pessoas que parecem perseguidas pela fatalidade. São provas que lhes cabem sofrer e que elas escolheram.


Podemos até mesmo afirmar que qualquer que seja o perigo que nos ameace, se a hora da morte ainda não chegou, não morreremos. Temos tido milhares de exemplos a respeito deste assunto.


Todas as contingências planetárias são de prévio conhecimento espiritual, podendo as mesmas atingir determinadas pessoas ou não.


Todas as contingências planetárias são de prévio conhecimento espiritual, podendo as mesmas atingir determinadas pessoas ou não.


Embora estejamos sujeitos ao livre-arbítrio de terceiros que dele se utilizam para roubar, matar, agredir, podemos ficar ilesos se nossa vibração espiritual não der esta sintonia, ou faixa vibratória. Estamos também protegidos espiritualmente, o que pode até nos influenciar em não passarmos por determinado local. É comum sabermos que pessoas repentinamente passam mal, evitando que naquela ocasião saiam de casa sendo poupados de ocorrências desastrosas.


Tudo em nossa vida está previamente registrado espiritualmente, razão pela qual não existe o “acaso”. ”Não há um fio de nosso cabelo que caia, que nosso Pai não saiba”. Temos até conhecimento de que um determinado espírito encarnou trazendo como “carma” perder um dos braços em uma determinada etapa de sua vida. Entretanto, esse ser aproveitando a sua atual existência para evoluir espiritualmente, modificou a “lei de causa e efeito” por mérito seu, perdendo somente um de seus dedos, e não o braço.


Cabe à educação espiritual combater as más tendências. Pelo conhecimento das leis que regem a moral, o ser poderá modificar sua vida, como se modifica a inteligência pela instrução, a sujeira pela higiene etc.


Sem o livre-arbítrio, o homem não teria culpa por praticar o mal, nem mérito em praticar o bem.


Assim, de acordo com a Doutrina Espírita, não há arrastamento irresistível: o homem pode sempre cerrar ouvidos à voz oculta que lhe fala no íntimo, induzindo-o ao mal, como pode cerrá-los à voz material daquele que lhe fale ostensivamente.


Pode pela ação da sua vontade, pedir a Deus a força necessária e solicitar, para tal fim, a assistência dos bons Espíritos. Foi o que Jesus nos ensinou por meio da sublime prece quando manda que digamos:


”Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal.”

Finalizando, devo mencionar que embora estejamos sujeitos à “Lei de Causa e Efeito”, através de nosso livre-arbítrio poderemos atenuar as nossas contingências planetárias, modificando-as ou anulando-as, através do consentimento espiritual que tudo sabe e tudo vê.


Paz a todos.

Fernando de Magalhães

Obs.: Este trabalho está de acordo com o “Livro dos Espíritos”, de onde foram retirados alguns conceitos.

A MAIS BELA CARTA QUE FALA DO AMOR

Analisem esta carta com profundidade e procurem aproveitar seu verdadeiro conteúdo. Eis a carta de Paulo aos Coríntios: "Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver amor, nada serei.


E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.


O amor é paciente, é benigno, o amor não arde de ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba. Mas, havendo profecias desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará.


Porque em parte conhecemos, e em parte profetizamos. Quando, porém, vier o que é perfeito, o que então é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como um menino, sentia como um menino. Quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino. Porque agora vemos como em espelho, obscuramente, e então veremos face a face; agora conheço em parte, e então conhecerei como sou conhecido. Agora, pois, permanecem a Fé, a Esperança e o Amor. Esses três. Porém, o maior deles é o Amor ".


Paulo se refere aos grandes pregadores do Evangelho e diz: "Ainda que fale as línguas dos homens e dos Anjos etc..". São em sua maioria palavras ditas sem emoção, vazias. É muito fácil jogar uma moeda para um pobre na rua. Deixamos de nos sentir culpados pelo cruel espetáculo da miséria. É barato para nós e resolve o problema do mendigo. Entretanto, se realmente amássemos aquele pobre, nós faríamos muito mais por ele.


O amor é a verdadeira energia da vida. Você sabe o que quer dizer "nobre". Significa alguém que age de maneira digna. Este é o mistério do Amor. Quem possui Amor em seu coração, não pode agir grosseiramente, ao passo que o falso nobre, aquele que é apenas esnobe, está preso a seus sentimentos e não consegue amar. Mais difícil ainda é não procurar alguma recompensa para nós mesmos quando amamos. Sei que é muito difícil abrir mão de uma recompensa.


A lição mais presente em todos os ensinamentos espirituais nos diz: não existe felicidade em ter e receber; apenas em dar. Realização, entretanto, é dar e servir. O resto não tem importância. Para sentirmos o amor verdadeiro, e não um momento de entusiasmo, precisamos de uma prática constante e diária. Permaneça perto da obra de Quem nos amou e você será imantado por esse Amor. Qualquer pessoa que buscar esta Causa terá o seu Efeito.


Por isso, não deixe que seu amor se prenda às coisas do mundo. A alma imortal deve entregar-se a algo imortal. O Amor será sempre a única moeda corrente aceita no Universo. Meus irmãos, em nome desse Amor, quantas coisas poderemos realizar em benefício de nosso próximo, dedicando-nos com um pouco de nosso tempo, às obras assistenciais a irmãos necessitados. Em quantos feriados, sábados, domingos etc, nós deixamos de realizar alguma coisa útil na obra do "servir", para ficamos presos em nossos lares, acorrentados em nossas poltronas, com a visão falsa e deturpada dos programas televisivos? Quantas crianças carentes em Orfanatos adorariam sua presença? Quantas vovós asiladas gostariam de receber sua visita? Quantos enfermos iriam gostar de sua visita ? Será que basta somente a sua fé ? Ir a Igrejas? Rezar muito ? Claro que não! "A fé sem obra é morta." A Obra, é servir, é amar !


Um dia, na Pátria Espiritual, não será levado em consideração em que acreditamos, qual a nossa religião, qual nosso padrão financeiro, os erros que cometemos etc. Seremos julgados pelo bem que deixamos de fazer. Manter o Amor trancado dentro de si é ir contra o espírito de Deus, é a prova de que nunca O conhecemos, de que Ele nos amou em vão, de que Seu Filho morreu inutilmente.


Nos diz o grande conferencista Henry Drummond, cuja obra foi adaptada por Paulo Coelho, o seguinte: "E cada homem julgará a si mesmo. Ali estarão presentes aqueles que encontramos e ajudamos. Ali também vão estar aqueles que desprezamos e negamos. Não há necessidade de chamar qualquer Testemunha, pois nossa própria vida se encarregará de mostrar, na frente de todos, o que fizemos.



Paz a todos.

Fernando de Magalhães

CURAR PELO PENSAMENTO

Ao curar algumas doenças, quer pelo auto-tratamento, quer por um curador mental, as sutis vibrações da mente atuam sobre as vibrações mais densas do tecido enfermo. Isto pode ser feito na mesma proporção por meio da qual aquela determinada mente tem capacidade de visualizar e concentrar, podendo levar horas,dias ou semanas, conforme as condições do paciente e de quem cura.


Sabemos, entretanto, que ocorrem muitos casos de cura "instantânea", em que os tecidos doentes e dilacerados foram reconstituídos num relâmpago de tempo.


Sabemos de tais coisas pela história, e se diz que acontece nos dias atuais,em lugares como Lourdes etc. Nestes casos é porque, finalmente,tocamos nas mais refinadas e sutis vibrações de todas, aquelas do espírito,ou da força criadora mais elevada.


Tais vibrações como são desimpedidas dos processos cerebrais e operam com tremenda velocidade, podem operar uma cura tão rapidamente que não temos possibilidade de seguir o seu curso, e o resultado nos dá a impressão de ser instantânea.


Como um grande médico espiritual, como foi Cristo, coisas dessa espécie são possíveis, especialmente se o sofredor pode sintonizar por meio da "fé", ou por meio de suas próprias vibrações espirituais, com as ações de quem cura.


Cristo nos encorajou a empenhar-nos na obtenção destes poderes de curar, que na realidade não são sobrenaturais, mas os resultados de um desenvolvimento intensivo e de uma compreensão das leis do universo.


A mente possui poder sobre qualquer coisa que possa compreender e visualizar.


O primeiro de todos os passos, portanto, é o de estudar tais argumentos e teorias, aqueles fatos que estão amparados pelo devido testemunho, com uma mente perfeitamente aberta e lógica.


Deste modo, começaremos, gradualmente, a descobrir o que efetivamente podemos conhecer e em que acreditar.


Podemos sentir, por exemplo, que para nós é impossível acreditar na verdade dos milagres do Cristo, ou de qualquer outros do passado.


Mas, na realidade, tais coisas estão ocorrendo todos os dias, de diversas maneiras e formas, e uma busca logo nos põe em contato com elas.


O nosso próprio senso comum nos capacitará a separar o verdadeiro do falso.


Se nos aprofundarmos mais nesse assunto, vamos descobrir que existe uma força controlada por nossas mentes, que pode atuar mais poderosamente sobre a matéria sólida do que outra coisa; e que existe uma força ainda mais forte,aparentemente fora da mente, que pode atuar instantânea e miraculosamente.


O único poder verdadeiro para fazer tais coisas está dentro de nós mesmos.


Mas primeiro precisamos aprender a usar as nossas vibrações superiores. Estes poderes só operarão se não forem perturbados pelas pesadas vibrações desarmonizas, que entram em nossa composição quando vivemos fora da harmonia com as leis da Natureza.


O trabalhador mental sabe que necessita dirimir todas as perturbações físicas e vibrações, antes de poder se concentrar totalmente.


Ele precisa não só de ser capaz de ignorar as vibrações que o cercam, o que só conseguirá se forem firmes e equilibradas (um ruído do tráfego perturba muito menos do que a queda esporádica de uma gota de água de uma torneira), mas, também, precisa ter firmeza e equilíbrio sobre qualquer atividade do seu próprio corpo, para que dele não se aperceba.


Se, entretanto, não estiver buscando expressão mental, mas a "inspiração",ele só consegue obtê-la firmando o próprio cérebro, a fim de que,equilibrando suas vibrações com o mesmo estado de equilíbrio do seu corpo, consiga ignorar o cérebro e buscar as forças mais sutis da mente.


A maior inspiração relampejará subitamente no cérebro desde o momento em que estiver aquietado e receptivo. A primeira coisa que devemos fazer é eliminar todas as vibrações desarmonizas dos nossos corpos e cérebro.


Precisamos afastá-las, uma a uma, à medida que as descobrimos. Todo o ato desnecessário, pensamento, emoção, medo, precisam ir embora! Precisamos construir, na fábrica de nossas vidas, só aquelas coisas que as equilibrarão, fortalecerão e embelezarão.


Constataremos que existe uma tremenda quantidade de lixo para jogar fora!


As coisas que restarem, dar-nos-ão a maior alegria e interesse, se forem intensificadas.

Ao finalizar esta página, gostaria de mencionar que algumas vezes as pessoas usam esses poderes sem conhecer exatamente o que estão fazendo, ou qual será o resultado, como nos casos de algumas formas de cura mental, baseada na "fé cega".


Tais casos são prova maravilhosa das possibilidades que existem, mas são incertas ( algumas vezes não passam de sorte), e, seguidamente, muito mal é feito pela falta de um conhecimento mais completo.



Paz a todos.

Fernando de Magalhães

INSUFLAÇÃO

Seria de grande valor terapêutico se os atendimentos de cura, aplicados por pessoas de boa vontade em pacientes que procuram as Casas de Caridade para alívio de seus males, fossem ministrados através de energias ou vibrações, correspondentes à capacidade receptiva de cada pessoa atendida, após prévia aferição radiestésica vibratória dessas pessoas, conforme exemplificarei a seguir.


Existem pessoas que possuem sensibilidade nas mãos, capazes de medir as energias (idêntica à radiestesia, que através de pêndulos preparados fazem a aferição energéticas), que circulam nos órgãos sadios e enfermos dos pacientes que procuram os atendimentos energéticos espirituais nessas Casas.


A técnica do atendimento, por nós denominado de Insuflação, é ministrar uma energia somente por um chacra correspondente ao órgão afetado, com a mente do operador mentalizando que está potencializando a enfermidade, transformando-a em energia e, como tal, passando além-matéria.


Os passes magnéticos somente serão ministrados posteriormente ao tratamento de insuflação, para disciplinar as energias áuricas e dos órgãos internos dos pacientes.


O tratamento através da insuflação tem trazido grandes benefícios, pois o operador, com a força de seu pensamento, atua sobre o fluido, agente universal, modifica suas qualidades e lhe dá uma impulsão por assim dizer irresistível. Daí decorre que aquele que soma um grande poder fluídico normal com a ardente fé, pode, só pela força de sua vontade dirigida para o bem, operar esses singulares fenômenos de cura e outros, tidos antigamente por prodígios, mas que não passam de feitos de uma lei natural. Tal foi o motivo porque Jesus disse a seus apóstolos: "se não o curastes, foi porque não tendes fé" (Evangelho, Cap. XIX, item 5).


Podemos também insuflar uma energia por um chacra, ou por um plexo, banhando o órgão enfermo do paciente e retirando as energias deterioradas por um plexo ou chacra mais próximo.


O valor da insuflação está intimamente ligado à vontade, à determinação do operador, que com a prática consegue a transformação fluídica, curando o paciente enfermo.


Esses atendimentos devem ser realizados em salas especiais, onde o paciente ficará deitado confortavelmente. Nessa sala deverá ter um aparelho de som transmitindo músicas sacras, criando desta forma no ambiente uma aura fluídica de paz, tranquilidade, possibilitando inclusive à Espiritualidade operar fluidicamente em benefício do paciente.


Não precisa o operador estar incorporando qualquer entidade espiritual; ele sozinho se basta, pois também é um espírito encarnado. Todo espírito mais evoluído, para incorporar, tem de efetuar um rebaixamento energético e vibratório a fim de poder entrar em sintonia com o corpo perispiritual do médium, razão pela qual ele perde muito de seu potencial. O mais lógico é o mundo espiritual agir em toda sua plenitude, cabendo ao operador fornecer previamente ao irmão enfermo as energias necessárias, através das técnicas de insuflação, possibilitando dessa forma aos espíritos benfeitores agir no plano etéreo com toda sua plenitude.


A prática da insuflação vem atualmente sendo exercida em nossa Casa de Caridade, onde é mostrado aos atendentes que se trata de um exercício, o qual, com a prática constante, cada vez mais seu potencial energético, adicionado a um grande poder mental, vai proporcionar alívio aos nossos irmãos enfermos.


Para realizar os tratamentos de cura, basta que o operador esteja imbuído de bons sentimentos e vontade realmente de servir ao próximo, exercitando previamente a leitura de uma página evangélica, para a sintonia ser cada vez mais perfeita com o mundo espiritual superior, que se sente atraído pelas vibrações excelsas emanadas pelas pessoas que estão se propondo seriamente à prática da caridade e do amor ao próximo.


Lembro, entretanto, que para executar o atendimento insuflatório, o operador não deve tocar no enfermo que se encontra deitado à sua frente, bastando manter os dedos das mãos separados entre si, possibilitando que as energias possam fluir mais intensamente. Sua mente irá adicionar ao seu poder magnético os fluidos necessários a restaurar as energias internas do enfermo, drenando dessa forma as energias deterioradas que porventura estejam prejudicando a cura do irmão necessitado. É a fé agindo com todo seu potencial. A emissão não deve ser muito demorada, bastando o máximo de cinco emissões no órgão enfermo, por dia de atendimento. O tratamento deve ser realizado semanalmente, cabendo ao operador acompanhar o tempo que cada enfermo leva para se beneficiar até à cura completa. Quanto mais passivo for o paciente, mais rapidamente ele se beneficiará, razão por que, antes de ministrar os atendimentos, devemos reunir os irmãos enfermos em uma sala, preparando-os através de pequenas palestras, que falem do poder da fé, ou de livros que tragam mensagens altruísticas.


Muitos operadores mais preparados já estão vinculando o tratamento de insuflação a cores cromoterápicas, levando em consideração as cores dos signos, possibilitando com isso uma triangulação (energia magnética + energia mental + energia cósmica planetária). Esse tipo é conhecido como INSUFLAÇÃO MAGNÉTICA POLARIZADA.


Creio que cada vez mais as técnicas de atendimentos se aprimoram, tornando possível que pessoas de boa vontade possam exercê-las em benefício da humanidade, cumprindo aquela determinação de nosso Mestre e Senhor Jesus Cristo: "todos podem fazer o que eu faço, bastando que tenham fé."



Paz a todos.

Fernando de Magalhães

CONSERTAR O PASSADO PARA CURAR O PRESENTE

Meus irmãos, somos hoje o que fizemos ontem. Sendo o corpo somático, ou material, a condensação energética de nossos demais corpos, por ser o físico o corpo mais denso, grosseiro, serve de exaustor para eliminação de todas as impurezas ocasionadas nesta e em outras vidas, que criaram arquétipos energéticos enfermiços em nosso corpo espiritual.

Muitas enfermidades que hoje possuímos sem qualquer razão de ser, pelo fato de não abusarmos e levarmos uma vida metódica, estão relacionada a uma deficiência existente em nossas outras vidas.

Se somos espíritos eternos e em evolução constante, tudo nos é possível para auxiliar a alcançar o progresso espiritual. Somos aquilo que queremos ser, pelo fato de sermos miniaturas de Deus (criados à semelhança de Deus).

Fobias, traumas, depressão, enfermidades congênitas etc., são tratáveis através de uma preparação ambiental e psicológica.

Há casos em que o atendimento deverá ser dado em mais de uma pessoa da família ao mesmo tempo, pois poderá ser um somatório de energias enfermiças dentro do mesmo ambiente familiar criadas por espíritos afins, que reencarnaram para ajuste e progresso gradativo.


ATENDIMENTO

O atendimento consiste em abrir os "arquivos" dos demais corpos espirituais, onde se encontram latentes as ocorrências pretéritas, que serão desarquivadas e recuperadas pelos Dirigentes dos Trabalhos.

Desarquivadas as ocorrências que produzem a atual anomalia, deveremos modificar ou amenizar os fatos, possibilitando a cura dos efeitos atuais, pois estaremos atuando diretamente na causa e não nos efeitos.

Não há tempo determinado para tal atendimento , que não pode ser interrompido, por tratar-se de uma viagem dentro dos corpos sutis de uma pessoa que está buscando eliminar energias enfermiças através do canal mental, eliminando-as antes de trazer conseqüências nocivas ao corpo somático, ou celular.

Tal método de atendimento será a medicina futura, quando a Terra deixar de ser um mundo de expiação e provas. Eu não mencionei um mundo de dor, porque hoje em dia a dor física já pode ser controlada satisfatoriamente. A ciência, ao descobrir que o ser humano nada mais é do que uma condensação de energia, que recebe a influência via cérebro da mente cósmica (psique espiritual, ou mental concreto, mental abstrato, búdico, átmico), criará processos de eliminação, ou conserto dessas deficiências reencarnatórias, possibilitando desta forma que o espírito possa viver para evoluir, pois tem a consciência de que erros de hoje serão futuras lesões a serem tratadas no plano físico, ou nos planos espirituais.

No mundo espiritual os espíritos carentes somente são atendidos quando tomam conhecimento de suas faltas, trazendo-lhes sofrimentos, e, arrependidos, procuram auxílio para a cura de seus males.

O ser humano, se tentarmos sintetizar os campos energéticos já conhecidos pelas escolas filosóficas, pode ser classificado da seguinte forma:

a) Corpo bioenergético (somático, ou material).

b) Corpo psicoespirtual ( mente cósmica ).

c) Corpo espiritual ( espírito, energia divina)

Conforme todos podem atestar, é o próprio ser, auxiliado por irmãos preparados, que irá se recuperar, pelo fato de ele possuir a vontade e de conhecer a verdade, verdade que o libertará.

Tudo isto é possível, porque nosso Mestre Jesus, quando esteve neste Planeta, nos ensinou que, com fé e vontade de servir, teremos a chave da cura de todos os males.

Nesse atendimento, deveremos mostrar ao enfermo que foi ele mesmo quem provocou sua enfermidade (ele, hoje, é a conseqüência de ontem), podendo, se desejar, por reconhecer sua falta, recuperar e eliminar fatos desagradáveis de sua vida.

Não é utopia, simplesmente estamos trazendo um pouco do futuro, para o presente, consertando um passado remoto.

Nós chamamos esse tratamento de ATENDIMENTO PSICOESPIRITUAL (Importante ressaltar que esse tipo de atendimento nada tem a ver com a conhecida "regressão" onde o paciente vai regredindo gradativamente ao passado, passando pelas idades cronológicas. No atendimento acima focalizado, o arquétipo mental que está interferindo na vida atual do paciente, vem imediatamente a zona consciencial sem termos que voltar a vidas passadas, ou faixas etárias vividas na atual existência).


Paz a todos.

Fernando de Magalhães

CARNAVAL

Inúmeras pessoas perguntam: É proibido ao espírita brincar Carnaval?

Meus irmãos, a religião, ou a Doutrina dos Espíritos, não proíbem nada. Tudo que é proibido aguça no espírito a vontade de contrariar.

Esta verdade é antiga, se levarmos em consideração a história de Adão e Eva, em relação ao fruto proibido.

A Doutrina espiritual se digna a trazer ao ser humano a consciência reta, digna, verdadeira, libertando-o gradativamente dos impulsos psicológicos que podem envolvê-lo em ritmos, doenças, atitudes indignas, falta de decoro etc.

O maior perigo da fase carnavalesca é o ser se deixar envolver pela vibração energética psíquica do ambiente em que se encontra. É comum, nestas ocasiões, vermos pessoas inconscientemente, nestes ambientes, começarem a bater com os dedos das mãos e mexerem freneticamente com os pés quando estão sentadas e de pernas cruzadas. É a atmosfera psíquico-ambiente que envolve as pessoas.

O Espiritismo não é contra a alegria. Todavia, hoje o que nós vemos é sensualidade, que pelos trajes desnudos, pela propaganda feita pela mídia... é não esquecer a “camisinha” nem a número 1, que representa uma marca de cerveja.

A alegria nada tem a haver com sexo, bebidas alcoólicas e ambientes que levam multidões a se esquecerem de valores morais éticos, chegando até as agressões físicas.

Nós vemos pessoas, nestes dias do reinado de Momo, procurarem de todas as formas possíveis extravasarem suas revoltas acumuladas durante o ano. Outros, se transvestem e outras pessoas ficam totalmente nuas, dançando freneticamente, lembrando aquelas mulheres que eram levadas ás casas frequentadas por gladiadores romanos na noite anterior aos grandes combates nas arenas da morte.

O Espiritismo é o despertar da consciência, que procura demonstrar ao indivíduo o que ele realmente é. O espírita procura se afastar dessas multidões por saber que o ambiente carregado de vibrações grosseiras atrai por sintonia espíritos e energias inferiores que envolvem a aura-saúde.

Quantas infelicidades, amarguras, remorsos, enfermidades graves, se apresentam para os desavisados na quarta-feira de cinzas!

Talvez o Carnaval seja hoje em dia cultivado pela mídia privilegiada, conduzindo o povo a esquecer que vive no País da fome, da falta de educação, de auxilio médico, etc...

Assistindo, dias passado, a um debate de diretores de grupos e escolas carnavalescas, eles procuravam informar ao público em geral que o nu que existente nas escolas era arte e cultura. Não somos donos da verdade e nem pessoas puritanas, mas comparar o nu artístico existentes em quadros de grandes pintores com o nu sambante, sedutor, sensual, é tentar tampar o sol com a peneira.

O ser humano quando descobre os valores espirituais e faz uma reforma interior, compreende o livre-arbítrio dos outros, ficando á margem desses ambientes. Nada é proibido. Tudo é o conhecimento adquirido que eleva e dignifica o ser humano.

“Conhecereis a verdade e ela te libertará. “ Paz a todos!

Fernando de Magalhães

O LIVRE ARBÍTRIO E A EVOLUÇÃO

Foi constatada a existência de veneno na língua de um homem raivoso, com constituintes exatamente iguais aos do veneno de uma cobra. É também bastante conhecido o efeito das emanações das pessoas sobre as flores, os animais e as crianças. Tanto o amor como o ódio possuem suas formas químicas e de ação. É evidentemente impossível que nossos médicos e mestres possam nos proporcionar uma cura permanente enquanto não aprendermos a deixar de envenenar a nós mesmos e aos que nos cercam.

As verdadeiras qualidades espirituais eliminam esses venenos. Uma fé absoluta transforma o medo e a preocupação numa impossibilidade. Um amor verdadeiro e irrestrito não deixa lugar ao ódio, à raiva, à inveja e o egoísmo.

Se nos dispusermos seriamente a tomar uma atitude e preparar o caminho de nossa evolução, nosso primeiro passo deve ser o de eliminar gradualmente todos os pensamentos, desejos e hábitos desnecessários de nossa vida.

Diariamente, durante algumas semanas, deveríamos inteiramente examinar, tomando nota inclusive de nossas ideias, no que realmente acreditamos, o que queremos realmente da vida e em que acreditamos. Estaríamos nos preparando para enfrentar a verdade sobre nós mesmos e o que teremos que modificar. Pensar principalmente como foi o nosso dia, analisando sinceramente os nossos erros, tentando corrigi-los.

Neste exame, feito com perseverança, constatar-se-á que provavelmente nunca fizemos um tão sério raciocínio a nosso respeito. O resultado será como um tônico para o cérebro e um estímulo para tentarmos a nossa reforma. Um dos grandes males da humanidade é a possessividade, cuja permanência em nosso ser deve ser afastada a qualquer custo.

Os nossos irmãos "iogues" vão até ao absurdo de se despojarem de todas as posses e procuram descobrir as necessidades mínimas para a existência física. A possessividade é a causa fundamental de todas as guerras, tiranias e de outras imoralidades. O desejo de possuir as pessoas, ou alguém, restringe o progresso e nos leva ao ciúme - a porta da loucura. Aprendendo-se assim a eliminar de nossas mentes todas as coisas inferiores e desnecessárias, vamos tentar entender o mundo em que atualmente estamos vivendo.

Nesta etapa de meditação evolutiva, torna-se claro que este mundo em que vivemos foi construído, na realidade, com uma coleção de opostos, e que só pela capacidade de compará-los é que se pode ter uma ideia sobre ele. Para nós a luz não teria significação se não conhecêssemos a escuridão; o verão seria igualmente monótono se não tivéssemos o inverno; o calor não poderia ser apreciado se não sofrêssemos com o frio; a paz e o silêncio existem para nós pela razão de seu contraste com o barulho.

O próprio bem não seria compreensível se não pudéssemos compará-lo com o mal. Onde estaríamos sem o pecado e a dor? Seríamos perfeitos, estáticos, sem possibilidade de maior progresso ? Se temos que evoluir, precisamos ser dotados de meios para isso. É até possível se dizer que o mal não existe ! Mas o que existe, então? O que é a causa de tanto desamor, egoísmo, possessividade, ambição etc ? É somente o desequilíbrio. A perfeição é o equilíbrio real de todas as partes. É aí que surge em ação o livre arbítrio do homem. Brevemente, o homem aprenderá a amar profundamente, mas sem o egoísmo, sem impor o seu eu, compreendendo e perdoando tudo, em virtude de sua própria experiência e da percepção das leis da evolução. Não mais dispensará todo o seu amor só para seus familiares e nada para o mundo.

Para se conseguir um completo equilíbrio de caráter é necessário um auto estudo. " Homem, conhece a ti mesmo", estava escrito sobre as portas dos maravilhosos templos antigos. Existe um exercício que é recomendado e considerado de suma importância para aqueles que desejam realmente evoluir mais rapidamente. Consiste numa cuidadosa revisão de todos os seus atos e ações do dia, antes de dormir. A mente precisa viajar vagarosamente para trás, através de todos os incidentes, pensamentos e motivações, atos e palavras do dia, procurando muito imparcialmente, tanto os traços de desequilibro como os seus opostos, de compreensiva sabedoria.

A experiência adquirida deve ser percebida fazendo-se uma soma franca e fria de todos os erros e acertos cometidos, sem vaidade nem condenação. Se tal exercício for feito de maneira fiel e honesta e repetido todas as noites, operará milagres no nosso caráter.

Primeiro, nos capacita a sermos fortes, evitarmos erros anteriores, vivemos corretamente, e a eliminar pensamentos inúteis quando surgirem. Muitas pessoas poderão perguntar: "Não bastará eu rezar antes de dormir"? As preces não são suficientes em vez da meditação individual ? Meus irmãos, as preces são exercícios às vezes até decorados de-cinco-dedos, o A B C do crescimento espiritual.

Neste sentido, sempre desempenharão o seu papel. Mas quem não se contenta em permanecer estudando as primeiras letras da espiritualidade, mais cedo ou mais tarde necessitará entrar mais individualmente em contato com as realidades. Finalizando, meus bondosos irmãos, quero dizer que o homem é um Deus em formação, e uma meta o aguarda. Uma vez que ele tenha posto os pés firmemente na senda da perfeição, as suas fortes aspirações queimarão as impurezas do seu corpo e de sua mente. Gradualmente, então, os centros de forças localizados dentro de suas sete glândulas principais ficarão capacitados a funcionar. Estes centros, chamados de "chacras" pelos hindus, ligam-no com o conhecimento e o poder, para trabalhar conscientemente nos diferentes planos da matéria.

Paz a todos!

Fernando de Magalhães

EXISTE REALMENTE TÉCNICA PARA O PASSE?

Meus caros amigos, gostaria de conversar com vocês a respeito das atuais e tão conhecidas técnicas de se ministrar o passe (transfusão fluídica / magnética), dentro e fora das Casas de Caridade, em pessoas necessitadas...

Sou perfeitamente consciente que na maioria dos Centros Espíritas há, inclusive, Escolas de Passes, onde os médiuns e pessoas de boa vontade estudam as suas técnicas de aplicação. Não quero dizer que as mesmas estejam erradas e sim, que as mesmas são primárias, face ao pouco grau de evolução de nossa humanidade, que ainda não aprendeu a usar todo seu potencial mental.

Reconheço, também, que a maioria dos Centros Espíritas usam as técnicas ensinadas pelo brilhante professor Edgard Armond, que nos orientou da maneira mais correta em nossos dias de se socorrer pessoas através dos passes equilibradores das energias, de que necessitam os seres humanos para o bom funcionamento do corpo somático, ou material.

De acordo com as atuais técnicas de diversas escolas, a primeira, orientação a ser dada ao aplicador do passe, diz respeito à sua higiene pessoal.

A seguir é a exigida distância do passista para a pessoa e irá receber o passe. (assemelha-se a distância de um braço esticado para frente). Após, ele é orientado a agitar com as duas mãos a aura do paciente, tirando-a de uma possível inércia. (Correntes centrífugas ou centrípedas).

Com essa preparação, ele irá ministrar o passe, propriamente dito ou seja, a energização magnética nos plexos do paciente. Segundo as inúmeras escolas, o passe poderá ser aplicado de várias formas:

Agitador de Aura, Rotativo, Longitudinal, Dispersivo, Escova, Transversal etc.

Existem, inclusive, em alguns Centros Espíritas, as Câmaras de Passes, onde o ambiente é previamente preparado para essa finalidade. Não há porém, regra específica para os passes ministrados pelos Espíritos, que usam suas técnicas próprias.

Os passes dados pelos nossos irmãos desencarnados são popularmente conhecidos como passe fluídico, ou passe mediúnico, cujas energias são transmitidas diretamente para os "chacras" (pontos de forças existentes no corpo astral , ou períspirito, de todas as pessoas). Para a prática do passe, não há necessidade de o aplicador ser médium; basta ter amor ao semelhante e vontade de ajudar ao próximo. São pessoas de boa vontade, que usam seu livre – arbítrio para aliviar dores e sofrimentos.

A cada dia, mais se estuda a técnica dos conhecidos passes magnéticos, ou energizadores, com vistas ao socorro de pessoas debilitadas, anêmicas, depauperadas, de alguma forma fragilizadas etc. Vários escritores já ocuparam com seus estudos inúmeras páginas de livros e apostilas, versando a respeito de tão apaixonante assunto. De tantas técnicas ou modalidades existentes o aplicador do passe tem que estar sempre se reciclando, pois novas teorias são apresentadas periodicamente, tornando-se cada dia mais complexa a sua prática, principalmente pelas pessoas mais simples que não conseguem acompanhar os novos tratados, que modificam até teorias milenares.

Dizem os doutos da presente matéria que não é qualquer pessoa que pode aplicar o passe, principalmente se for do sexo feminino e estiver menstruada. Se a pessoa estiver com problemas de qualquer espécie, também não deve aplicá-lo. Conforme todos podem ver, a coisa começa a se restringir. Ora, desde quando a menstruação é considerada uma enfermidade? E o ser humano, desde quando consegue viver sem problemas?

Meus amigos, deixando-se de lado as técnicas atuais, os tratados de passes, os livros que versam sobre tão apaixonante assunto, eu gostaria de expor um pensamento, um raciocínio a respeito da aplicação do passe. O que vou expor nas linhas abaixo, não deverá ser utilizado imediatamente, mas, como estamos vivendo um novo ciclo evolutivo, pois a Terra será um mundo de regeneração, a humanidade aprenderá que toda sua capacidade emissora se encontra latente em seu cérebro, que poderá ser utilizada por um pensamento forte e determinado Pergunta-se: quem, em nosso Planeta que mais se utilizou da técnica do passe?

Lógico, evidente, que foi nosso Mestre e Senhor Jesus Cristo. Ele simplesmente estendia sua mão na direção do enfermo e com a força de seu pensamento, de sua vontade, de sua determinação, curava as pessoas. Nunca tivemos notícia de que o Mestre tenha dado passe rotativo, escova etc. Simplesmente estendia sua mão e determinava sua vontade de curar.

Lembro-me muito de um trecho bíblico, em que seus discípulos não conseguiram curar o jovem possesso. Na presença de Jesus, o pai do menino enfermo disse: "Mestre, eu trouxe o meu filho para os teus seguidores curá-lo e eles não conseguiram". Jesus aproximou-se do menino, estendeu sua mão e o curou. Posteriormente, Pedro perguntou a Jesus porque eles não conseguiram curar o menino, e Jesus respondeu: "Homens de pouca fé; se vocês tivessem a fé do tamanho de um grão de mostarda e dissessem a este monte (enfermidade) saia daqui e vá para ali, -, ele iria". (Logo, faltou a determinação, a vontade , a confiança plena de que iriam conseguir).

Disse mais o Mestre: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida." "Todos podem fazer o que eu faço, basta ter fé".

Não sou absolutamente contra as atuais práticas do passe, mas eu me pergunto: será que há verdadeiramente necessidade de tanto gestos, de tantas normas, de estudo de anatomia, para podermos aplicar um simples passe de socorro? Criaram até o termo de "médium de cura", ou "passe de cura". Eu questiono: qual é o passe que não é de cura? Finalizando, eu indago as bondosas pessoas que estão acompanhando este meu ponto de vista: será que no futuro, com as pessoas mais conscientes de seus potenciais, não bastaria simplesmente imitarmos o Mestre, estendendo-se nossa mão em direção ao necessitado e emitirmos, através de nosso pensamento, toda nossa vontade, e determinação de curar ?

Paz a todos!

Fernando de Magalhães